Alexandre Pires é alvo de operação da PF contra garimpo ilegal em Terra Yanomami

De acordo com as investigações, o artista teria recebido ao menos R$ 1 milhão de uma mineradora investigada


Cantor Alexandre Pires (Foto: Reprodução)

DEAMAZÔNIA SP – O cantor Alexandre Pires foi alvo de mandado de busca e apreensão da Polícia Federal, nesta segunda-feira (4), em operação para desarticular garimpo ilegal na Terra Indígena Ianomâmi, na Amazônia. De acordo com o inquérito, o artista teria recebido ao menos R$ 1 milhão de uma mineradora investigada.

A diligência foi cumprida em um cruzeiro onde Pires se apresentava, no litoral de Santos (SP). A informação foi publicada pelo portal Metrópoles e confirmada pelo O Globo.

As investigações apontam que o esquema de garimpo ilegal em Terras Yanomami teria movimentado R$ 250 milhões, segundo reportagem do Metrópoles.

A ação visa desarticular uma rede de financiamento e logística do garimpo ilegal que estaria operando no território de grande relevância ambiental e cultural para os povos indígenas.

Além de Pires, a Operação Disco de Ouro também mira Matheus Possebon, um renomado empresário do ramo musical com presença nacional. Ele é apontado como um dos responsáveis pelo núcleo financeiro do esquema criminoso.

As equipes da PF cumpriram dois mandados de prisão e realizaram seis buscas e apreensões em diferentes cidades do Brasil: Boa Vista (RR), Mucajaí (RR), São Paulo (SP), Santos (SP), Santarém (PA), Uberlândia (MG) e Itapema (SC).

A Justiça Federal determinou o sequestro de mais de R$ 130 milhões em bens dos suspeitos envolvidos no esquema, como medida para garantir a reparação dos danos causados pela atividade ilegal.

A AÇÃO

Esta operação é um desdobramento de uma operação da Polícia Federal, ocorrida em janeiro de 2022, quando foram apreendidas 30 toneladas de cassiterita extraídas ilegalmente da TIY em uma empresa investigada. Na ocasião, o inquérito policial revelou que o esquema visava à “lavagem” de minério ilegalmente retirado da Terra Indígena Yanomami, com alegações falsas de origem em um garimpo regular no Rio Tapajós, em Itaituba (PA), e suposto transporte até Roraima para processamento.

No entanto, as investigações demonstraram que o minério era, na realidade, originário de Roraima.

O esquema ilegal abrangia uma ampla cadeia produtiva, envolvendo pilotos de aeronaves, postos de combustíveis, lojas de máquinas e equipamentos para mineração, bem como “laranjas” para ocultar as transações fraudulentas.

A Operação Disco de Ouro continua em andamento. O Metrópoles está acompanhando de perto esse desenvolvimento e manterá seus leitores informados sobre qualquer atualização relacionada ao caso.

O cantor Alexandre Pires é amplamente conhecido por sua carreira como vocalista do grupo de pagode romântico Só Pra Contrariar, fundado por ele em 1989. Sucessos como “Essa Tal liberdade” e “Que Se Chama Amor” o tornaram uma figura de destaque na música brasileira. Até o momento, a assessoria do cantor não se manifestou sobre as acusações.

Compartilhe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Conteúdo Protegido Jonas Santos (92) 99229-8831